O que é e como configurar um split?

O split de pagamento, ou split payment, é uma solução financeira que divide o valor de um recebível entre vários sellers, permite automatização de pagamento a mais de um seller participante.

Funciona através da configuração de múltiplas regras de negócio na nossa API de Split, habilitando modelos de comissionamento dinâmico por venda entre diferentes recebedores.

Possui uma implementação padronizada para transações em pagamentos digitais, presenciais e com boleto na plataforma. Assim, é possível configurar splits em transações de qualquer modalidade.

Essa solução é indicada em situações em que o modelo de negócio exige que haja mais de um recebedor para cada valor de venda realizado. E é possível também configurar splits para ter uma comissão extra para o marketplace sobre as vendas.

Ainda que um comprador adquira diversos produtos de variados vendedores, para ele, é gerada apenas uma cobrança.

Após a confirmação do pagamento pelo banco ou operadora de cartão, o valor é então dividido entre as partes envolvidas, já considerando as taxas que devem ser pagas à plataforma.

Exemplo

Imagine que em um salão de beleza, o estabelecimento divida o lucro dos serviços com os profissionais como pagamento de comissão. A solução de split permite essa divisão automaticamente no momento do pagamento da venda, não sendo necessário o pagamento da comissão do profissional manualmente a posteriori.

A porcentagem referente à cada um é definida pelo marketplace, tendo liberdade para renegociar e definir as proporções diretamente na nossa API de Split.

Para o pagador, ele só verá a cobrança uma vez da venda realizada.

 

Tipos de Split

A divisão dos recebíveis pode ser feita no momento da criação da venda ou a posteriori e considerando o valor bruto ou líquido da transação.

 

Split a priori - na mesma requisição
Utilizada para criar uma regra de divisão no momento que a venda é feita. Os parâmetros do Split são enviados na mesma requisição que a criação da venda e já são definidas as regras de divisão.

Este formato é utilizado normalmente para operações antecipadas, uma vez que não é possível realizar o split de uma transação já liquidada.

 

Split a posteriori
Feito a partir de uma transação ainda não antecipada e já criada. Através do ID da transação, é possível enviar uma requisição para dividir o recebível conforme a regra desejada e assim cada vendedor receberá um montante. Este modelo também pode ser utilizado para vendas feitas no mundo físico.

Confira as requisições de Split

 

Critérios para habilitação de Split

Veja abaixo os critérios que devem ser considerados na hora de escolher o melhor split de pagamentos.

1. Segurança nas transações

Sempre que pensamos em formas de pagamento para marketplace temos como foco o consumidor final. No entanto, é preciso também transmitir segurança para os sellers envolvidos no processo.

Assim, o split de pagamento ideal deve garantir que as regras criadas referentes à divisão de valores sejam realizadas corretamente.

Oferecer um ambiente seguro e que garanta a distribuição de comissões sem erros também contribui para o crescimento da sua base de vendedores, passando credibilidade e atraindo mais lojistas para a sua empresa.

2. Atendimento das regulamentações

Ainda que a Regulamentação do Banco Central não tivesse como alvo os marketplaces, a interpretação da circular 3682/13 fez com que esse segmento fosse visto como um facilitador de pagamento.

Dessa forma, essas plataformas precisaram se adequar para realizarem a liquidação financeira via CPI (Câmara Interbancária de Pagamentos).

Por todos esses motivos, o split de pagamento a ser utilizado em seu negócio precisa estar em conformidade com o exigido pelo Banco Central, bem como com os requisitos do PCI DSS (Payment Card Industry – Data Security Standard), padrão de segurança de dados de cartão de crédito e similares, da EMV e das demais entidades certificadoras e reguladoras da indústria de meios de pagamento.

3. Parametrização de regras

O split de pagamento ideal também deve permitir a criação de regras que atendam as necessidades do seu negócio.

Assim, a solução precisa incorporar de maneira fácil qualquer regra de recebimento, ou seja, split de pagamentos para boletos, pagamento presencial ou digital devem funcionar da mesma maneira.

O mesmo é válido para a possibilidade de alteração das regras até o momento da liquidação das transações e da definição de políticas de cobrança de comissionamento.

Como resultado, automatiza e melhora a conciliação e passa a controlar totalmente a gestão financeira e dos agentes participantes da sua cadeia de vendas.

4. Dashboard de fácil operação

Um split de pagamentos visa facilitar a gestão financeira do seu negócio. Também por esse motivo, a ferramenta deve contar com um Dashboard intuitivo e fácil de operar. Para isso, o sistema deve permitir que:

  • Visualize e gerencie de maneira prática e segura todos os processos de venda de seus parceiros;
  • Identifique com clareza os valores pertencentes a cada parte envolvida nas transações;
  • Tenha acesso a informações que ajudem na tomada de decisões para crescimento da sua empresa, tais como de onde vem a maior parte do faturamento da plataforma, quanto de comissão está arrecadando por período e outras.

As mesmas facilidades e funcionalidades devem estar liberadas também para os seus parceiros, em dashboard similar. Esse cuidado ressalta sua preocupação com a transparência dos processos e facilita o controle financeiro dos seus clientes.

5. Registro das transações em tempo real

O registro de todas as transações em tempo real é outra funcionalidade que um bom split de pagamento precisa ter.

Além de aumentar a confiança que os sellers têm na sua empresa, colabora para terem um melhor controle de suas movimentações e uma percepção mais clara dos valores que irão receber, facilitando ações futuras.

6. Facilidade na integração com outras soluções

Um split de pagamento completo deve permitir a integração, de maneira fácil, com outras soluções — por exemplo, CRM (Customer Relationship Management), ferramenta utilizada para gestão de clientes; e ERP (Enterprise Resource Planning), sistema que automatiza diversos processos.

Dessa forma, é possível extrair todas as suas funcionalidades e integrá-lo a softwares e aplicativos que otimizam a administração da sua empresa.